01000011 01101111 01101101 01110000 01110010 01100101 00100000 01100010 01101001 01110100 01100011 01101111 01101001 01101110
Voltar

Hello World. Ou Seria Olá Mundo?

Hello World. Essa geralmente é a simples frase utilizada quando estamos desenvolvendo algo e queremos fazer um teste rápido inicial. O termo, que na tradução livre pode ser escrito como: "Olá Mundo", teve sua origem provável no livro A Linguagem de Programação C, lançado na década de 70. De lá pra cá a expressão se popularizou, é escrita de formas variadas (a original sendo: hello, world) e se mantém utilizada mundialmente por programadores de várias línguas distintas.

E falando em línguas... se você já teve algum contato mínimo com desenvolvimento, provavelmente percebeu como é nitido que o inglês seja considerado a lingua franca da programação. Termos, comentários, artigos, e as próprias linguagens de programação são todas feitas utilizando o inglês como base de comunicação (tirando a brainfuck, é claro). Por um lado isso é bom, pois elege uma linguagem para governar a todas, o que padroniza e simplifica o aprendizado. Por outro lado, é péssimo ao pecar na inclusão de bilhões de pessoas que não sabem inglês, e consequentemente, perdem o acesso a toda essa informação técnica. E sim, eu disse bilhões. Afinal, todas as pessoas deveriam aprender a programar, começando pelas crianças.

Se de um lado temos o avanço da tecnologia nos dando aplicativos como Duolingo ou Busuu que facilitam muito o aprendizado do inglês, de outro lado nós temos pessoas interessadas na área de desenvolvimento que, por diversos motivos não podem se dar ao luxo de aprender uma nova língua no momento. Mas se essa demanda por conteúdos em outras línguas além do inglês é tão grande, porque então não existem iniciativas tentando trazer (e criar) conteúdos na língua portuguesa?

A resposta é: Existem. E eu pretendo fazer parte disso a partir de 2019.

Trabalho com front-end desde 2010. Já são 8 anos (na data de publicação desse artigo) lendo muito conteúdo gringo e aprendendo inglês na marra para conseguir consumir os grandes criadores de conteúdo de desenvolvimento (que geralmente escrevem em inglês). Aliás, gostaria de lembrar que ainda tive sorte ao começar, uma vez que sites como o Maujor e iMasters já existiam na época fazendo um trabalho incrível de criar conteúdo em português. Os que começaram antes de 2010 com certeza sofreram ainda mais com a falta de conteúdo na nossa língua.

Pois bem. Durante muito tempo eu foquei em me comunicar em inglês, já que essa era a lingua franca do mundo de desenvolvimento. Mas no decorrer de 2018, finalmente percebi o potencial da nossa comunidade local. Respostas no StackOverflow PT que são mais robustas do que as versões em inglês, ricas discussões sobre os mais variados assuntos no Front-end Brasil e outros conteúdos muito acima da média de desenvolvedores brasileiros me mostraram que nossa comunidade não apenas possui gente muito gabaritada, mas também está repleta de pessoas cheias de vontade de aprender, e entusiasmo para começar.

Eu sempre quis ter um blog pessoal para compartilhar alguns aprendizados, e nada melhor do que usar o espírito de resoluções de ano novo para começar com esse projeto, focando em uma nova língua: a nossa.

function main() {
  document.write('olá, mundo\n');
}

Feliz 2019.


Outros Artigos

Siga-me: